Koren RH

www.korenrh.com.br

Koren RH - www.korenrh.com.br

Calor e sistema nervoso: entenda as reações do corpo

O verão, todos sabem, é uma época de forte calor. O que nem todos sabem, entretanto, é que este calor, em excesso, pode agravar ou desencadear alguns problemas neurológicos.

Quem nunca teve dor de cabeça? São poucos os privilegiados nesta situação, uma vez que se estima que 9 em cada 10 pessoas terão, pelo menos, 1 episódio de cefaleia na vida. Entre eles, a enxaqueca é o mais comum. Neste sentido, o verão pode ser um fator desencadeante ou até agravante de crises. O calor favorece a desidratação, a hipoglicemia, altera a pressão e os batimentos cardíacos. Por isto, enxaquecosos ou portadores de cefaleia crônica precisam ter cuidado redobrado nesta época do ano, hidratando-se muito, procurando lugares mais frescos, na sombra, ingerindo alimentos leves e ricos em água, bebendo bastante líquidos ou isotônicos.

calor

O sono também pode ser prejudicado no verão, principalmente na mudança do fuso horário, quando o relógio é antecipado em 1 hora. Muitas pessoas têm um ritmo biológico que se altera bastante com pequenas mudanças do ciclo sono-vigília. E alteração de sono, por sua, vez, é mais um fator que desencadeia cefaleias, como vimos acima.

No calor intenso, indivíduos com pressão arterial mais baixa, no limite inferior, são mais sujeitos a desmaios, tonturas e até, mais raramente, crises convulsivas. É muito importante, além de manter a hidratação adequada, mais cuidado ao levantar da posição deitada para posição em pé, e fazer isto pausadamente.

Finalmente, situações mais incomuns podem ser precipitadas pelo calor intenso. Um deles é o “fenômeno de Uhthoff”, no qual ocorre um agravamento dos sintomas neurológicos em portadores de esclerose múltipla. Isto ocorre porque o aquecimento do corpo altera a condução dos impulsos elétricos pelas células nervosas. O outro, menos comum, seria nos casos de doença cerebrovascular, seja acidente vascular cerebral isquêmico ou trombose venosa cerebral, ambos associados ao calor e à desidratação.

Logo, é importante tomar bastante cuidado no calor, em particular, aquelas pessoas que têm problemas neurológicos. Mais importante ainda, medidas simples de prevenção podem amenizar grande parte das queixas que estes pacientes têm nesta época do ano.

* Dr. André Felício é neurologista, doutorado pela UNIFESP/SP, pós-doutorado pela University of British Columbia/Canadá e pesquisador do Hospital Israelita Albert Einstein/SP

Fonte: www.consumidormoderno.uol.com.br

Um pequeno guia para ajudar você a fazer menos coisas em seu dia

Leia e entenda por que, assim, seu dia pode ser muito mais produtivo (mesmo produzindo menos)

Shutterstock
O dia acaba e nós estamos exaustos e temos muito pouco a mostrar dele. Um dia diferente é possível

Muitos de nós trabalham em um fluxo interminável de tarefas, pesquisas, mídias sociais, e-mails, reuniões, correria de uma coisa a outra, nunca parando e nunca acabando. Então, o dia acaba e nós estamos exaustos e temos muito pouco a mostrar dele. E nós começamos o outro dia, prontos para um fluxo irracional de tarefas e distrações.

Eu sou um fã de ir contra o fluxo das coisas que a maioria das pessoas faz e dar um passo para trás. Isso realmente vale a pena? Esse é o melhor caminho? Nós estamos perdendo nossas vidas para a ocupação e distração? E se nós fizéssemos menos, em vez disso?

É claro, eu venho sugerindo fazer menos há seis anos no Zen Habits, mas é um tópico que vale a pena revisitar, porque é muito necessário. Hoje, eu ofereço um pequeno guia para fazer menos, para aqueles que querem dar uma chance a si mesmos.

OS BENEFÍCIOS

Provavelmente, eu poderia escrever um livro inteiro sobre os benefícios de fazer menos, mas aqui vai uma versão menor:

1. Você conquista mais. Não, você não terá mais coisas feitas (você está fazendo menos, no fim das contas), mas se você faz menos e foca nas coisas importantes, você conquista melhores resultados, realizações mais significativas. É assim que eu sou capaz de trabalhar menos, mas ainda escrever centenas de postagens por ano (em vários sites), criar ebooks e cursos e mais.

2. Você tem menos ansiedade. Quando você se liberta das distrações e das coisas que não são essenciais, você se liberta do medo de que você precisa fazer essas coisas. Você aprende que o seu mundo não irá cair quando você deixa essas coisas para trás.

3. Você curte mais a vida. Tirar um tempo para realmente focar em uma tarefa importante, ou curtir as pequenas coisas, em vez de correr entre elas, é muito mais agradável.

4. Você cria tempo. Quando você faz menos, de repente você tem tempo livre! O que você pode fazer com esse tempo? Que tal passar algum tempo com pessoas que você ama, escrever, ler, fazer música, se exercitar, cozinhar refeições saudáveis, começar o seu próprio negócio, meditar ou fazer yoga?

Eu vou parar com esses benefícios – eles são suficientes para começar. Mas eu acho que você vai descobrir outros se tentar.

APRECIE SUAS TAREFAS

Eu escrevi recentemente sobre como apreciar a vida, e isso se aplica a sua lista de tarefas. Quando você realiza uma tarefa – vamos dizer, escrever algo – cria espaço ao redor dessa tarefa. Realmente presta atenção, realmente se dedica e aprecia a tarefa. Qualquer tarefa pode ser agradável com a mentalidade da apreciação – sim, até fazer limpeza e a contabilidade.

Quando você fizer tarefas, não se apresse nelas, seja cuidadoso, esteja presente e sorria. Quando você terminar, aprecie sua conquista em vez de apenas olhar para o que vem em seguida. Respire entre as tarefas.

FAÇA UMA CURADORIA DE SUAS TAREFAS

Se você normalmente faz entre 20 e 30 coisas por dia (por exemplo), entre pequenas e grandes tarefas e reuniões, isso é ótimo. Mas essas coisas são importantes? Elas são boas o suficiente para entrar no corte do que deveria estar na sua vida?

Em vez disso, pense em você como um coletor. Cada dia é limitado, nossas vidas são limitadas e nós podemos tentar enfiar o máximo de coisas que nós conseguirmos dentro desses contêineres, ou nós podemos coletar apenas as experiências que valem a pena estar dentro desses dias limitados.

O que você incluiria no seu dia se você estivesse selecionando as melhores experiências e tarefas? O meu dia, por exemplo, constantemente contém essas coisas que eu amo: meditação, escrita, café e leitura, passar um tempo com minha esposa e filhos, exercícios físicos, refeições saudáveis, ajuda às pessoas, sair para uma caminhada, um pouco mais de leitura e beber uma ou duas taças de vinho tinto. Nem todos os dias tem essas coisas, e não nessa ordem, mas essas são algumas das coisas que eu acho que valem o meu dia.

CRIANDO UM “DIA DO MENOS”

Você pode fazer menos hoje? Como você faria isso? A resposta é sim, você pode fazer menos hoje, mesmo que você já tenha começado com uma correria de pequenas tarefas. Aqui está o que eu sugiro:

1. Respire. Tire um momento no seu dia ocupado e respire. Preste atenção em sua respiração por um minuto, então preste atenção ao seu corpo, em como você está sentando, se você está com a mandíbula travada, o que está deixando você tenso.

2. Considere o seu dia. O que você já fez hoje? O que está no horizonte para o resto do dia? Há alguma coisa que você pode deixar para lá? Você pode criar espaços entre suas tarefas? Você pode selecionar suas tarefas, livrando-se das insignificantes, deixando apenas as melhores?

3. Aprenda a saber o que é essencial. Leva algum tempo para descobrir quais tarefas oferecem maior impacto para a sua vida, sua carreira, sua habilidade de ajudar outros e mudar o mundo. Mas, começando a aprender hoje – escolha o que é mais importante, limpe algum espaço e trabalhe nessas coisas. Aprecie.

4. Reduza as distrações. Considere fazer uma limpeza digital – tire um dia ou uma semana de férias das mídias sociais, notícias, sites de fofocas, dos lugares que você normalmente gasta suas distrações. O que você vai fazer quando sentir que precisa de alguma distração? Medite, exercite-se, crie.

Respire. Aproveite o novo espaço. Aprecie a beleza de fazer menos.

Tradução: Lívia Pereira

Fonte: www.administradores.com.br

10 razões para investir na comunicação interpessoal

comunicacao

Por Patrícia Almeida para o RH.com.br

A comunicação está presente em todos os dias da vida. Mesmo que o ser humano considere-se completamente independente, haverá um momento em que ele precisará estabelecer um canal para trocar informações com outra pessoa.

E quando estamos dentro de uma empresa, exercendo nossas atividades diárias é inconcebível pensar que a comunicação será um “elemento dispensável” e que obteremos êxito ao apresentarmos obstáculos diante dela. Logicamente, há pessoas que possuem mais facilidade de trocar informações com seus pares, enquanto que outras consideram essa prática irrelevante.

Se assim o fosse, não ouviríamos tantos profissionais questionarem: “Por que nunca sou compreendido?”. Seguem abaixo, dez bons motivos para você trabalhar a comunicação interpessoal, ou seja, aquela que é estabelecida diretamente com as pessoas do seu convívio.

1 – Novas culturas - Estabelecer a comunicação interpessoal não significa apenas trocar vocabulário com outra pessoa. Vai muito além, pois a partir do momento em que você estabelece a troca de informações tem a oportunidade conhecer fatos culturais que, talvez, você jamais chegue a vivenciar.

2 – Aprendizagem - Se você está aberto para se comunicar, prepara um campo aberto para receber o aprendizado. E, diga-se de passagem, que o processo de aprendizagem é bilateral, pois quando os indivíduos dizem sim para a comunicação interpessoal o fluxo e a riqueza de informações torna-se muito mais relevante.

3 – Paradigmas - Se o aprendizado chega através da comunicação interpessoal, você se torna mais suscetível a quebrar paradigmas que foram formados ao longo de toda a sua vida. Longe aqui de afirmar que “A” ou “B” tem razão sobre determinado assunto, mas me refiro à importância da pessoa está pronta para mudar, para evoluir, conhecer novos caminhos que podem levá-la a horizontes jamais pensados.

4 – Inibição – Quem já não ficou quieto, quando teve oportunidade de pronunciar-se? São milhares de profissionais que deixam de apresentar suas ideias, defender seus posicionamentos em reuniões e mostrar o quanto podem ser valiosos à empresa, mas ficam paralisados no momento de abrir a boca. Quem exercita a comunicação interpessoal ganha mais confiança e se sente mais seguro, uma vez que perceber que falar faz parte do contexto social em que está inserido.

5 – Networking - Não peço que você saia falando “pelos cotovelos”, mas a prática da comunicação interpessoal é um dos caminhos para ampliar a rede de relacionamentos e até mesmo uma boa oportunidade para fazer novas amizades.

6 – Sentimentos - A comunicação interpessoal não é assinalada apenas através das palavras, mas também da entonação da voz, dos gestos que a pessoa articula enquanto conversa com seus pares. Ou seja, é um conjunto que quando somados chega a revelar até mesmo se a pessoa está zangada, triste ou feliz. Por isso que mesmo com o avanço da tecnologia, a importância da comunicação face a face não perdeu e nem perderá seu valor para o ser humano.

7 – Eu existo - Seu gestor possui inúmeras atribuições. Se você é daqueles que agradece aos céus porque seu líder não o chama para conversar, é bom rever sua postura. Se seu líder não vai até você, quando houve necessidade vá a ele. Não fique apenas no anonimato, fazendo o trivial. Mostre-se à empresa e isso acontece quando você diz para o líder, eu existo.

8 – Conflitos - A comunicação interpessoal torna-se uma aliada fundamental na resolução e até mesmo na ‘profilaxia’ dos conflitos organizacionais. Inúmeros são os casos de profissionais que criam situações conflituosas porque se negam a dedicar dez minutos do dia para trocar ideias, desfazer equívocos e chegar a um denominador comum em benefício das partes envolvidas e até mesmo do clima organizacional.

9 – Desempenho - Quando a comunicação interpessoal é valorizada e praticada no ambiente corporativo, as pessoas melhoram o desempenho porque passam a se conectar melhor na busca pela obtenção de resultados. Não se concebe a ideia de uma equipe eficaz que preze pelo silêncio.

10 – Autoconhecimento - Outro benefício gerado ela comunicação interpessoal é que ela serve de termômetro para que o profissional saiba como os outros o percebem. Isso se torna relevante principalmente para o desenvolvimento das competências comportamentais.

Fonte: www.rh.com.br

Caminho para ser um líder de sucesso

líder

Especialista norte-americano aponta os cinco passos essenciais

Há mais de 30 anos no mercado de gestão de projetos, o norte-americano Paul Dinsmore listou cinco passos que considera essenciais para os novos líderes se aperfeiçoarem e firmarem no cargo. Confira:

 

1 º passo – Estude, estude e estude

“O bom líder nunca deve parar de estudar. Cursos de MBA e especialização não apenas no segmento de expertise, mas também em áreas mais amplas, como gestão de pessoas, por exemplo, são um dever e fundamentais para formação de uma boa liderança.”

 

2º passo – Se conhecer (e ser honesto com essa autoavaliação)

Saber como é o próprio perfil é fundamental. O bom líder precisa conhecer os próprios gostos, afinidades e qualidades, mas acima de tudo os próprios defeitos. Esse autoconhecimento é fundamental para que as decisões tomadas sejam cada vez mais maduras.

 

3º passo – Dê o exemplo

“Todo líder deve dar o exemplo, pois é através dele que sua liderança será exercida.” Manter-se presente, cumprir horário e ser coerente nas decisões fará com que os colaboradores enxerguem seus líderes como exemplos a serem seguidos.

 

4º passo – Eleja um mentor

A orientação de um profissional experiente pode ser determinante no processo de aperfeiçoamento. “Eleja um mentor ou um coach para auxiliar em questões técnicas, como gestão de recursos e planejamento, e comportamentais. A troca de experiências entre líderes é muito importante para o amadurecimento profissional.”

 

5º passo – Autogestão

Um líder precisa saber qual caminho está seguindo e aonde quer chegar. Por isso, é importante traçar metodologias e estratégias para a própria carreira. Só assim, poderá saber o que quer e auxiliar na formação de sucessores e novos talentos. Para isso, contar com ajuda profissional é de extrema importância.

Fonte:  www.callcenter.inf.br

O que as empresas mais admiradas têm a nos ensinar?

Descubra quais são as principais práticas de negócios que tornam as Empresas Mais Admiradas extremamente bem-sucedidas

Diego Andreasi

filipecorreia/Flickr (CC BY-SA 2.0)

apple

Hay Group, empresa global de consultoria de gestão de negócios, em parceria com a revistaFortune, elabora anualmente uma lista para identificar as Empresas Mais Admiradas do Mundo e descobrir as práticas de negócios que tornam essas empresas extremamente bem-sucedidas. (Obs: informo que estou ciente do Efeito Halo, mas a pesquisa tem sim os seus méritos).

Dentre as práticas citadas, eu separei três delas, que estão adaptadas logo abaixo:

Capacidade de Execução

O que precisa ser feito não é nenhum segredo. O desafio é colocar a estratégia, os sistemas e as capacidades em prática e, em seguida, conduzir a implantação e a execução”. (A. G. Lafley, ex-CEO da Procter & Gamble).

O mero conhecimento das melhores práticas não é o que determina o sucesso competitivo para as empresas, é preciso ter a capacidade de implementar e sustentar essas práticas. A maioria dos administradores pode apontar com facilidade as coisas certas a fazer, mas o que distingue as grandes empresas das outras é a capacidade de tornar o ideal real.

É como aquele seu amigo que sabe tudo sobre mulheres, mas que nunca apareceu com alguma. Ou aquele seu tio que sabe tudo sobre educação financeira, mas que vive sem dinheiro.

Clareza e Coerência

Metas claras e simples não significam muito se não forem levadas a sério. A incapacidade de fazer o acompanhamento é generalizada nas empresas, e representa umas das principais causas da execução deficiente.” (Ram Charan, em seu livro Execução).

Os valores das Empresas Mais Admiradas são muito claros a todos os seus funcionários, pois tais empresas agem constantemente no intuito de divulga-los. Elas não acham que os seus funcionários deveriam conhecer os seus valores, elas os comunica para que todos tenham certeza. Com base neles, cada um sabe o que pode ou não pode fazer, agilizando assim as tomadas de decisão e facilitando a autonomia de cada colaborador.

Isso me recorda um caso de uma empresa que tinha como um dos principais valores a simplicidade, e que flagrou um antigo diretor esbanjando gastos em uma viagem de negócios paga pela empresa. Como o valor em questão sempre foi muito claro a todos, o mau exemplo não poderia ficar impune. O resultado dessa atitude? Rua.

Fidelização do cliente e construção de capital humano

Se você quer saber onde a empresa está agora, examine suas informações financeiras, mas se quer saber onde a empresa estará daqui a 5 ou 10 anos, examine a qualidade de seu relacionamento com os clientes e a qualidade de seu quadro de funcionários.” (Autor desconhecido).

As métricas de desempenho dessas empresas tendem a ser mais orientadas para o futuro, enfatizando a fidelização do cliente e a construção de talentos organizacionais.

Isso significa que muitas vezes a empresa poderá perder uma venda, por não dispor de um produto adequado às necessidades do seu cliente no momento, para preservar o relacionamento em longo prazo.

E você, conseguiu identificar na sua empresa algumas dessas práticas?

Fonte: www.administradores.com.br

A importância do brilho nos olhos para o sucesso de uma pessoa

Ter entusiasmo é algo fundamental para podermos atingir nossos sonhos e consequentemente alcançarmos a felicidade

Pablo de Paula

brilhonosolhos

Me lembro com extrema nostalgia e total contentamento, das maravilhosas manhãs em que eu me levantava da cama, apanhava um toddynho na geladeira e alguns biscoitos caseiros que minha mãe fazia, e me assentava na poltrona da sala para assistir o maior anime de todos os tempos, a saber: Os Cavaleiros do Zodíaco.

Pode parecer coisa de criança, mas, eu me sentia dentro daquele desenho, como se ele fizesse parte de mim de uma forma que eu não sei como explicar, pois, tamanha era a minha admiração pelos fictícios personagens que tinham a missão de proteger o mundo da ameaça do mal. Liderados pela deusa Atena, os cinco principais personagens da série travavam batalhas épicas usando suas armaduras e seus golpes portentosos, que tinham o poder de rasgar as estrelas.

Apesar de admirar todos os heróis do notável mundo de CDZ, um se destacava mais, haja vista, que ostentava o maior atributo do universo, que era a determinação implacável, que lhe dava o poder para se reerguer quantas vezes fossem necessárias após cada derrocada. Sendo assim, ele tinha um alvo, uma missão a cumprir, e não deixava que nada o fizesse desistir.

Obviamente, eu estou falando do lendário Seiya de Pégaso, o principal personagem da série (protagonista), que mesmo não sendo o mais forte (pois, sua qualidade não estava na força de seu punho e sim em sua alma brilhante), fazia os inimigos temerem e tremerem ao contemplarem seus olhos, que eram como chamas de fogo.

Trazendo para a nossa realidade, posso afirmar categoricamente que é dessa qualidade que necessitamos para alcançarmos a excelência, tendo em conta, que o que diferencia um profissional do outro é o nível de motivação, ou seja, o brilho nos olhos.

O que é ter brilho nos olhos?

Usarei a criação de Masami Kurumada para explicar de forma bem simples essa questão, sintetizando os pontos mais importantes. Sem dúvidas, usarei como base, o nosso cavaleiro de olhos flamejantes, que será responsável por desmistificar esse compêndio.

A história de Seiya se assemelha a de milhões de crianças que nascem de uma maneira cruel e totalmente desprovida de qualquer esperança de se ter um futuro vitorioso, tendo em vista, que além de ter sido órfão, nosso herói foi separado ainda criança de sua irmã Seika, que era a única pessoa que ele podia contar para criar um elo fraternal e genuíno, dando a ambos à chance de constituir uma família.

Sendo assim, o destino do nosso bravo guerreiro tinha tudo para ser um fracasso absoluto, porquanto, que chance haveria de ter uma simples criança contra em um mundo injusto, desigual e fétido como o nosso? Nenhuma, não é verdade? Porém, é nas adversidades que encontramos as nossas maiores qualidades, ou melhor, é somente no caos, que os grandes líderes são descobertos, transformando atmosferas obscuras em paisagens límpidas. E com o nosso jovem beligerante foi exatamente assim, ele passou de uma criança abandonada e injustiçada para um leão indomável, dono de um rugido que ecoava nos quatro cantos da terra e que fazia estremecer reinos inteiros.

Tendo a promessa de reencontrar sua irmã (feita por Saori Kido, que era reencarnação da deusa Atena na terra), ele decide acreditar na palavra da moça e se aliar a ela e a outros cavaleiros para pelejar contra os vilões que buscavam destruir o mundo, se tornando um cavaleiro de bronze e sendo guiado pelo cosmo imponente da deusa imortal, partindo rumo às vitórias, obviamente, impulsionado pelo desejo insaciável de reencontrar seu ente mais querido.

No entanto, Seiya rapidamente percebeu que ser um guerreiro não é nada fácil, haja vista, que o sofrimento e as pancadas eram difíceis de serem suportadas, fazendo nosso herói pensar em desistir por inúmeras vezes, preferindo a dor única da morte do que as muitas dores da vida. Todavia, ele estava lutando por algo que transcendia suas calamidades, porque o amor que ele tinha por Seika era muito maior do que o estado caótico em que ele se encontrava, o fazendo encontrar forças de onde ele não tinha e o tornando invencível perante as complexidades que a vida lhe trazia. Sem dúvidas, a sua determinação em querer reencontrar sua irmã, o fizeram ter tanto poder quanto um deus, o transformando em um ser que gozava de múltiplas habilidades.

O curioso é que no decorrer dos duelos, Seiya acaba descobrindo que tem um dom sempar para lutar, se tornando cada vez mais forte no decorrer dos episódios e sendo muito respeitado pelos adversários. Além disso, ele cria uma afinidade peculiar com Atena, se tornando o cavaleiro mais próximo dela e a defendendo com veemência de todos aqueles que tentavam lhe tomar a vida, como uma espécie de guardião. Todos que estavam ao seu redor percebiam a lealdade do soldado mais constante da tropa de Saori, que não raramente entregava a sua vida para salvar aqueles que faziam parte de seu exército.

Todos esses fatores expostos acima já são mais do que suficientes para notarmos a honradez, a integridade, o decoro e a total retidão do nosso bravo combatente, no entanto, o que mais me impressionou ao longo de todo o anime foi à superioridade dos inimigos que ele enfrentou e como ele igualava essa questão através de sua persistência, determinação e esperança, tornando os duelos completamente emocionantes, por conta de sua capacidade singular de demonstrar que se acreditarmos em nosso potencial, pouco importa o tamanho do inimigo, pois, ele sempre poderá ser vencido pela chama que arde em nossos corações e pela razão pela qual iniciamos a batalha.

Desta forma, posso definitivamente afirmar que Seiya foi doutrinado para ser um vencedor quando criou um propósito de vida e acreditou como ninguém que poderia executá-lo, não importando o que ocorresse no decorrer de sua caminhada, porque, ele sabia que seus pontos fortes eram infinitamente superiores aos seus pontos fracos. Assim, que possamos aprender um pouco com este paladino, que fez da tenacidade a sua maior força e da confiança a sua maior escora, transformando cenários turbulentos em paraísos perfeitamente ordenados.

A importância da motivação para as nossas vidas

Certa vez, um amigo de longa data, resolveu contar para mim, um pouco de suas experiências profissionais ao longo de sua vitoriosa trajetória. Vencedor e extremamente carismático, ele me deixava estarrecido ao relatar com tanta motivação seus exemplos de como se dar bem na vida e principalmente, de como encantar as pessoas.

Aproveitando a oportunidade, o indaguei sobre qual era a principal qualidade e o principal defeito que uma pessoa havia de possuir no mercado de trabalho. Ele, sem pensar nem um segundo me disse: a principal qualidade é a confiança e a pior, sem dúvidas, é a falta de atitude. Vou dar um exemplo: uma vez, fui contratar uma pessoa para o cargo de auxiliar administrativo em minha empresa e haviam dois candidatos, o primeiro, possuía mais títulos e mais experiência profissional que o segundo, porém, ele não tinha metade do brilho nos olhos de seu rival, que era infinitamente mais motivado. Logo, eu tive que optar por escolher entre a inteligência ou a determinação. Obviamente, eu escolhi o segundo (determinação), pois, ele me passou uma imagem de alguém que apesar de não ter tido oportunidades de ter um currículo fenomenal, conseguiu manter a chama da esperança de seu coração acesa em meio às adversidades da vida e, quem se mantém forte diante do caos, se mantém forte em qualquer situação, e, portanto, deve ser valorizado.

Destarte, não são as coisas tangíveis que tornam um homem excepcional e vencedor, pelo contrário, são as intangíveis, ou seja, é a mente e o coração, que juntos, tem o poder de fazer com que uma criatura seja motivada, acreditando em si mesma e transmitindo isso através de suas atitudes e ações cotidianas. Sendo assim, que possamos valorizar nossos pensamentos positivos, fazendo com que as pessoas se sintam confortáveis ao nosso lado, por perceberem o perfeito estado de espírito em que nós nos encontramos.

Para finalizar, quero dividir com vocês um de meus textos poéticos favoritos, criado pela brilhante Florbela Espanca, que vem de encontro com o que foi explanado aqui, principalmente porque fala da frieza no olhar que infelizmente algumas pessoas possuem, não dando espaço para a esperança, confira:

Frieza

Os teus olhos são frios como espadas,
E claros como os trágicos punhais;
Têm brilhos cortantes de metais
E fulgores de lâminas geladas.

Vejo neles imagens retratadas
De abandonos cruéis e desleais,
Fantásticos desejos irreais,
E todo o oiro e o sol das madrugadas!

Mas não te invejo, amor, essa indiferença,
Que viver neste mundo sem amar
É pior que ser cego de nascença!

Tu invejas a dor que vive em mim!
E quanta vez dirás a soluçar:
“Ah! Quem me dera, irmã, amar assim!”

Florbela Espanca

Fonte: www.administradores.com.br

Autogestão Profissional

Você é o responsável por suas escolhas profissionais? Conhece os seus talentos? Este artigo levará a reflexão da importância do Autoconhecimento na Gestão Profissional.

Shana Allevato Wajntraub 

Psicóloga e Coach. 

Diretora da Eleve RH, presta consultoria em Recursos Humanos com foco em Coaching, Assessment, Arquitetura de Perfis de Cargos, Construção de Times.

autogestão
Muitas pessoas questionam suas escolhas profissionais demonstrando intensa insatisfação pelo que fazem e onde estão, mas na maioria das vezes optam por uma postura passiva em sua gestão de carreira e esperam de fontes externas, seja do mercado, do meio familiar, da sociedade, da organização ou de seus líderes, a resposta para o próprio sucesso.

Será essa uma boa gestão de carreira?

Claramente a resposta é NÃO! É preciso estimular o pensamento de que somos agentes do nosso sucesso e não pacientes.

Mas como fazer isso? Por onde começar?

Primeiramente é necessário dedicar tempo para investirmos em nós mesmos, precisamos identificar quem somos, para depois desenharmos uma estratégia e por fim empreendermos ações rumo à satisfação pessoal e profissional.

Nesse sentido o autoconhecimento se destaca como uma vantagem competitiva extremamente relevante.

Atualmente existem diversas ferramentas que apóiam essa busca individual, a Metodologia DISC é uma delas, trata-se de um instrumento utilizado e consagrado por diversas empresas. Após responder atentamente a um questionário, gera-se um inventário com características comportamentais.

Não existe um perfil ideal ou um melhor que o outro, o sucesso aparece em qualquer predominância comportamental. Descobrir onde atuam suas forças para depois buscar cenários favoráveis, ou seja, onde elas poderão ser valorizadas, tornam a gestão de carreira consciente e mais consistente.

É possível potencializar a busca pelo autoconhecimento ao combinar as informações do DISC com outras técnicas, como por exemplo, o Coaching, que busca, por meio de um processo guiado, estruturar ações focadas no alcance de determinado objetivo, apoiando e acelerando esse processo de autogestão de carreira.

Com isso podemos perceber claramente que o responsável por este caminho seria cada um de nós. Seja a pessoa certa no lugar certo.

Shana Allevato
contato@eleverh.com.br

Veja Mais sobre o Autor deste artigo

Via: www.rhportal.com.br