Koren RH

www.korenrh.com.br

Koren RH - www.korenrh.com.br

Confira a lista das profissões mais valorizadas, segundo o estudo:

 

1º Engenheiro de Petróleo 2º Engenheiro ambiental 3º Técnicos em produção, conservação e de qualidade de alimentos 4º Ajudantes de obras civis 5º Analistas de sistemas computacionais (TI) 6º Trabalhadores da fabricação de cerâmica estrutural para construção 7º Técnicos de produção de indústrias químicas, petroquímicas, refino de petróleo, gás e afins 8º Técnicos em fabricação de produtos plásticos de borracha 9º Técnicos florestais 10º Técnicos em manipulação farmacêutica
Fonte: Mundo Vestibular

ESTUDO MOSTRA AS PROFISSÕES DO FUTURO ATÉ 2015

 Profissões mais procuradas constam em ranking na pesquisa.
O crescimento da economia, nos últimos anos, está fazendo com que o Brasil esbarre na dificuldade de encontrar mão-de-obra especializada. Na próxima década, a disputa por gente qualificada será ainda mais acirrada, segundo uma pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Rio.
O estudo Perspectivas Estruturais do Mercado de Trabalho na Indústria Brasileira — 2015 aponta quais serão as profissões mais procuradas até daqui a oito anos, de acordo com o site G1.
Engenharia de petróleo está no topo da lista das oportunidades e, em segundo lugar, aparece engenharia ambiental. Entre as atividades de nível superior, os analistas de sistemas também estão bem posicionados (quinto lugar).
A indústria, contudo, não busca apenas quem vai para a universidade. Das dez carreiras com maior chance de sucesso, seis são de nível técnico, como ajudantes de obras ou carreiras voltadas para a produção de cerâmica para construção e para a manipulação de medicamentos.
A pesquisa ouviu representantes de 415 empresas em todo o país e analisou 128 profissões com as melhores chances até o ano de 2015. O estudo foi realizado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequena Empresa e teve supervisão técnica da Fundação Getulio Vargas.

Fonte:Mundo Vestibular

O que as jovens querem

Hoje, vamos falar um pouco sobre o mercado feminino e suas mudanças, em um bate-papo, jovens profissionais dão sua versão para estatísticas sobre o que as mulheres querem da carreira e comprovam que não existe mais só um caminho para se realizar:

Elas estão na faixa dos 30 anos, vivendo o ciclo que os especialistas batizaram de meio de carreira. No longo prazo, querem estar no topo de uma corporação, como presidentes, ou pensam em ter um negócio próprio.

Há quem se veja construindo carreira em uma única companhia. Outras querem ter uma trajetória diversa, com passagem por várias empresas.

Essas intenções surgiram em um bate-papo que a VOCÊ̂ S/A promoveu com cinco jovens profissionais para entender o que está por trás dos números ma peados em duas pesquisas.

Os dados usados para provocar a discussão são da em- presa de pesquisa Sophia Mind, especializada no universo feminino, que ouviu 800 mulheres de 25 a 50 anos em dois levantamentos. As opiniões das cinco executivas divergem em alguns temas porque as ambições profissionais dependem do mo- mento pessoal que estão vivendo.

As que já são mães dão preferência a benefícios para a família, enquanto as que ainda não são pensam no aconselhamento de carreira e valorizam ferramentas de reconheci- mento financeiro. O que elas têm em comum? Não abrem mão de projetos pessoais em função da carreira. confira a seguir.

Profissional x Pessoal
De quais atividades ou projetos pessoais você nunca abriria mão em função da carreira?

Vanessa: Não abriria mão de ter filhos por causa do trabalho, por isso procurei um emprego que me permitisse criar uma família, que não me obrigasse a parar a carreira, porque ela também me traz satisfação pessoal.

Thais: Acho que estamos começando a reavaliar isso. A mulher em cargos altos traz diversidade para a empresa, por isso as companhias estão sendo mais flexíveis.

Bianca: Eu não retarda- ria a maternidade nem pensaria em deixá-la em segundo plano por causa da carreira. Temos de equilibrar esses quesitos. A empresa que exige que você retarde seus planos pessoais está errada.

Eliziane: Para crescer profissionalmente, as mulheres investem seu tempo em cultura, línguas, cursos, viagens e networking. E para se dedicar a isso você tem de adiar relacionamentos mais sérios e filhos.


 

 

Autor: Nataly Pugliesi – Fonte: Você S/A